Ir para o menu principal Ir para Content

Uma história de tempo

Capítulo 1

UM LEGADO FORTE
DESDE 1832

Capítulo 2

UMA HISTÓRIA
RELOJOEIRA

Capítulo 3

MESTRIA
RELOJOEIRA

Descobrir

O ESPÍRITO
PIONEIRO CONTINUA VIVO

Capítulo 1

UM LEGADO FORTE
DESDE 1832

Capítulo 2

UMA HISTÓRIA
RELOJOEIRA

Capítulo 3

MESTRIA
RELOJOEIRA

Descobrir

O ESPÍRITO
PIONEIRO CONTINUA VIVO

um legado
forte
desde 1832

Capítulo 1

Auguste Agassiz (esquerda) e Ernest Francillon (direita), os pais fundadores da Longines

A história da Longines começou há 190 anos.

1832

Auguste Agassiz e os seus colegas relojoeiros criaram a sua oficina na vila suíça de St-Imier. Sem eletricidade, água corrente ou qualquer meio de comunicação a não ser por correio, Agassiz e os seus relojoeiros tinham um grande desafio à sua frente. Seguiam uma visão: distinguir-se através da qualidade.

1852

Reconhecendo a necessidade de alguém que partilhasse a sua visão, Agassiz contrata o seu sobrinho. O jovem Ernest Francillon não tinha nenhuma dúvida ou medo quanto à nova era de industrialização: era o único caminho a tomar. Francillon vai ter um papel fulcral na evolução da marca.

1867

Inspirado pela sua convicção, Francillon transformou a oficina de relojoaria do seu tio numa nova fábrica. A partir de 1867, os artesãos talentosos iriam trabalhar juntos sob o mesmo telhado, assistidos por máquinas. A Longines é das primeiras marcas suíças de relógios a mecanizar a sua produção. Usando turbinas hidroelétricas, a marca aumenta a qualidade dos seus componentes, e é assim que são produzidos com sucesso relógios precisos de alta qualidade.

A Fábrica Longines

Localizada em St-Imier, a fábrica foi construída no campo Les Longines ("grandes prados"). Foi de facto o nome do campo que deu à marca o seu nome, Longines. A fábrica Longines permanece no mesmo sítio desde então.

1867
1867
1911
1911
1966
1966
Hoje em dia
Hoje em dia

Longines é a 1ª marca
registada que ainda é válida hoje em dia

Quando a fábrica abriu, os relógios Longines já estavam decorados com o logótipo da ampulheta alada e um número de série como método de proteção contra falsificações e com uma garantia de autenticidade. Em 1880, o nome da marca é registado na Suíça, enquanto que o logótipo é registado em 1889. Em 1893, a proteção do nome e do logótipo da marca a nível mundial é alcançada com o seu registo no Escritório Internacional Unificado pela Proteção da Propriedade Intelectual, o antecessor da atual OMPI (Organização Mundial da Propriedade Intelectual). A Longines é o nome de marca com o registo mais antigo na OMPI ainda em uso hoje em dia. Apesar da sua aparência gráfica ter evoluído ligeiramente ao longo do tempo, a ampulheta alada tem sido uma presença constante desde 1867.

Uma história
relojoeira

Capítulo 2
Ao longo da história, a Longines construiu uma grande variedade de cronógrafos de alta frequência, cronógrafos, cronómetros e instrumentos de cronometragem. Os relojoeiros Longines foram verdadeiros pioneiros e enquanto que a marca continua a desafiar-se a si própria e permanece como uma das marcas mais inovadoras da indústria, está legitimamente orgulhosa com algumas das tecnologias que deu ao mundo ao longo dos anos.

MARCOS DA
RELOJOARIA LONGINES

1878

Com os seus novos procedimentos mecânicos, a Longines produz o seu primeiro calibre de cronógrafo para um relógio de bolso, o 20H. Este é o primeiro mecanismo produzido pela Longines que pode ser usado para fazer uma cronometragem precisa, uma área em que a marca vai investir muito a partir do fim do século XIX.

1908

Os relojoeiros da marca introduziram o primeiro relógio de bolso que indicava dois fusos horários em 1908. Este relógio era utilizado pelo Império Otomano (atualmente Turquia), para converter entre o fuso horário turco e o ocidental. Ponteiros duplos dos minutos e das horas com base num par central de ponteiros duplos. Uma patente foi registada em 1911.

1911

A Longines desafiou a indústria relojoeira quando criou um dos primeiros cronógrafos de pulso do mundo, com base no calibre 19.73N da Longines.

1913

O primeiro calibre de cronógrafo compacto para um relógio de pulso é criado: o 13.33Z. Com um diâmetro de 29 mm, representa o modelo base para os cronógrafos modernos. Este movimento de qualidade superior inclui um contador instantâneo de 30 minutos e tem uma precisão de um quinto de um segundo.

1925

Os relojoeiros da marca introduzem o primeiro cronógrafo de pulso com dois botões independentes e função flyback. Este mecanismo permite reiniciar e iniciar uma nova medição do tempo ao pressionar o botão de pressão. O modelo na imagem é de 1928.

1925

A Longines desenvolve o primeiro relógio de pulso que indica um segundo fuso horário, o calibre 10.68N. Com o seu ponteiro das horas adicional, consegue converter o fuso horário local para o fuso horário universal (UTC+0 ou fuso horário Zulu). A bandeira Z no mostrador significa Zero (UTC + 0) ou mais tarde o fuso horário Zulu. Os dois setores vermelhos de 3 minutos indicam períodos de silêncio de rádio para os operadores de rádio nos navios.

1927

Colaborando com o oficial da Marinha americana Philip Van Horn Weems, a Longines cria o Longines Weems Second Setting Watch. Com um inovador mostrador central rotativo, permite sincronizar o ponteiro dos segundos de forma precisa a um sinal horário via rádio. Foi um grande sucesso com os navegadores e os pilotos.

1931

Tendo feito o seu famoso voo sem paragens sobre o Atlântico Norte em 1927, o piloto Charles A. Lindbergh inspirou a Longines a criar o primeiro relógio de pulso com uma luneta rotativa para astronavegação. Usado em conjunto com um sextante e um almanaque náutico, o relógio Lindbergh Hour Angle ajuda os aviadores a calcular a sua posição geográfica através das estrelas.

1936

A fábrica Longines desenvolveu o primeiro cronógrafo de série com função flyback (calibre 13ZN). Foi um dos movimentos de cronógrafo mais tecnologicamente avançados do seu tempo. A Longines regista uma patente para o mecanismo flyback em 1935, que é concedida em 1936.

1936

Usando um movimento 21.29 de alta precisão, a Longines cria o Siderograph, um cronómetro de astronavegação. Este dispositivo expressa o tempo sideral de Greenwich em graus, minutos e frações de minutos arco, e permite cálculos rápidos da posição.

1937

A Longines produz o primeiro cronógrafo completamente estanque, com os típicos botões em forma de cogumelo. Uma patente é registada em 1938.

1942

Uma versão especial do lendário movimento de cronógrafo 13ZN da Longines é produzido. Um contador dos minutos com um ponteiro central vermelho conta os minutos passados, que são visíveis em todo o mostrador em vez de só num mostrador auxiliar muito pequeno. Conta 60 minutos em vez de 30 minutos, e no mostrador auxiliar há um contador de 12 horas.

1954

A Longines lança a coleção Conquest. É o primeiro passo numa nova estratégia de desenvolvimento de produto – a introdução das famílias de produto. De facto, registada a 3 de abril de 1954 na Suíça, a Conquest foi a primeira família de produtos a ser criada.

1956

Depois da Conquest, a elegante coleção Flagship foi lançada, com o seu medalhão distintivo com uma caravela gravada no fundo da caixa.

1958

A Longines introduz o Longines Nautilus Skin Diver. É o primeiro relógio de mergulho cívil da Longines. A sua caixa apresenta a tecnologia patenteada de selamento da caixa "Compressor": Quanto mais profundo se mergulhar, mais pressão é aplicada à junta e a caixa fica cada vez mais fechada.

1959

Depois do Longines Nautilus Skin Diver, os relojoeiros desenvolveram um icónico relógio de mergulho com duas coroas (calibre 19AS), hoje chamado Legend Diver. Com estanquidade até 120 metros de profundidade, este relógio apresenta um disco interior rotativo bidirecional para o proteger de obstáculos subaquáticos, operado por uma segunda coroa.

1959

A Longines constrói o primeiro cronómetro de pulso de alta frequência a oscilar a 36 000 batidas por hora (calibre 360), que ganha o 1º e o 2º lugar na competição pelo relógio mais preciso no Observatório de Neuchâtel de 1961.

1967

Inspirada pelas conquista técnica alcançada pelo calibre 360 e com o objetivo de oferecer uma alternativa aos eletrónicos e quartzo utilizados pela competição, a Longines lança o Longines Ultra-Chron. Um relógio de alta frequência com uma precisão garantida de "um minuto a mês", que corresponde a dois segundos a dia.

1969

A Longines cria o primeiro relógio de pulso controlado a quartzo denominado Ultra-Quartz. Era mais preciso que qualquer outro relógio de pulso de produção.

1992

A marca da ampulheta alada introduz La Grande Classique de Longines. Uma coleção emblemática que obtém um renome imediato e duradouro.

1997

Inspirado pelo espírito da "Dolce Vita", a Longines lança a coleção DolceVita. Fazendo lembrar os modelos com formas retangulares da marca nos anos 20, também representa a elegância intemporal da Longines.

2005

A Longines introduz uma coleção que pretende continuar a sua longa tradição relojoeira: The Longines Master Collection. Esta coleção é inteiramente composta por modelos com movimentos mecânicos.

2007

Com o objetivo de ir ao encontro das necessidades dos atletas que se querem manter elegantes, a Longines introduz o seu pilar desportivo. Inclui o HydroConquest e uma nova coleção Conquest modernizada.

2020

Desenhada da mesma maneira que os relógios dos famosos aviadores pioneiros que confiaram na Longines para alcançar os seus feitos, a marca da ampulheta alada lança a coleção Spirit.

Mestria
relojoeira

Capítulo 3
Ao trabalhar como cronometrista profissional, a Longines sempre tentou criar inovações engenhosas, muito precisas e elegantes. A cronometragem precisa é fulcral na cronometragem desportiva visto que um tempo infinitesimal pode decidir o vencedor de uma corrida. Atletas, esquiadores e cavaleiros têm assim que pôr toda a sua confiança nas práticas de cronometragem. Ao longo do tempo a Longines contribuiu de forma significativa para a evolução da cronometragem desportiva, ao criar dispositivos que indicam 1/5, 1/10, e de 1/100 até 1/1000000 de um segundo. E, além disso, a marca criou equipamento essencial inovador para ir ao encontro das necessidades de cronometragem de muitos desportos.

CONQUISTAS LONGINES
NA CRONOMETRAGEM

1912

O primeiro sistema eletromecânico de cronometragem desportiva foi desenvolvido pela Longines para a linha de partida e de chegada. Usa fios que quando são partidos começam ou param o relógio. Primeiro introduzido no Festival Federal de Ginástica em Basileia, o dispositivo usa o corpo do corredor para quebrar o fio ligado a um relógio no início e no fim de uma corrida.

1914

A Longines criou o primeiro cronógrafo com um movimento de alta frequência que oscila 36 000 vezes por hora, para medir 1/10 de um segundo, com base no calibre 19.73N.

1916

A Longines criou o primeiro cronógrafo com um movimento de alta frequência com 360 000 batidas, capaz de medir 1/100 de um segundo

1945

Depois dos ensaios de 1937, a Longines criou a barreira de raios de luz com base em células fotoelétricas para competições desportivas. Introduzida pela primeira vez numa pista de esqui em Montana, substituiu o sistema com o fio partido. A interceção do raio de luz ativa o botão de cronógrafo. Este avanço técnico permitiu uma grande melhoria da cronometragem nos desportos de inverno e verão.

1949

A Longines introduz a Chronocaméra. Este instrumento totalmente automático e de alta precisão reage instantaneamente a um sinal e dá os tempos fotografados em 4 segundos. Este sistema engenhoso inclui o primeiro relógio em quartzo da Longines para cronometragem desportiva. Grava a ordem, o números de começos e fins, e a hora, o minuto, o segundo e o 1/100 de um segundo.

1950

Para o Campeonato Mundial de Esqui Alpino em Aspen, a Longines usou novos portões eletromecânicos, que gravavam tanto o tempo de início e de fim de cada atleta. Este sistema é muito interessante porque os cronógrafos eram ativados pela ação única do atleta.

1953

A Longines desenvolve um novo relógio em quartzo para cronometragem desportiva, que ganhou uma série de recordes de precisão no Observatório de Neuchâtel. O Longines Chronocinégines apresenta uma câmara de 16 mm com um relógio de quartzo e dá aos juízes uma série de imagens dos atletas a aproximar-se e a passar a meta, sendo que cada imagem é tirada a cada 1/100 de um segundo.

1956

Um novo dispositivo revolucionário é criado pela Longines: o Contifort. Combinado com um relógio em quartzo, o processo de gravação permanente imprimia a posição no tempo e no espaço dos atletas quanto à meta. Permitia fotografar o tempo correspondente até 1/100 de um segundo.

1956

A Longines cria o dispositivo com base no quartzo Chronotypogines, um cronógrafo de trajeto duplo equipado com impressora. Este dispositivo de alta precisão grava o tempo numa tira de papel: horas, minutos, segundos, 1/10 e 1/100 de um segundo e até permite visualizar 1/1000 de um segundo. Certificado pelo Observatório de Neuchâtel, é usado para cronometrar os recordes mundiais de velocidade.

Desde 2010

O equipamento de cronometragem da Longines hoje em dia inclui uma nova referência na cronometragem desportiva: o Quantum Timer com a alta precisão de 1/1000000 de um segundo.

Desportos Equestres

Desde a sua criação até hoje, a Longines tem sempre tido uma relação próxima com o mundo equestre. De facto, o primeiro movimento de cronógrafo de 1878 da Longines foi colocado numa caixa com uma gravação de um jóquei e o seu cavalo.

Estes cronógrafos foram vistos nas pistas de corrida americanas na década de 1880 e provaram ser extremamente populares entre os jóqueis e os amantes dos cavalos. Não é nenhuma coincidência que a Longines tenha, desde tão cedo, ficado envolvida no mundo equestre. De facto, partilham os mesmos valores. Ambos são definidos por uma longa tradição, e também têm em comum a capacidade de se destacar pelo seu desempenho e elegância natural.

Em 1912, a Longines apoiou o seu primeiro concurso de saltos de obstáculos em Lisboa, Portugal. Uma conexão com os desportos equestres que ainda continua a prosperar atual

Esqui Alpino


Temporizador profissional de esqui de alta frequência com ponteiro de fração de segundo
(cal. 24 linhas) medindo 1/10 de segundo (1938).

A Longines também desenvolveu os primeiros placares luminosos com tempos rotativos para o Campeonato Mundial de Esqui Nórdico em Zakopane de 1962, seguido por novos conjuntos eletrónicos de cronometragem desportiva em 1968 e novos dispositivos que permitiam mostrar resultados desportivos em tempo real em televisões por todo o mundo em 1971.

A Longines é desde 2006 o Parceiro Principal Oficial e o Cronometrista Oficial da Federação Internacional de Esqui (FIS). A marca da ampulheta alada continua a cronometrar todas as mais famosas competições de esqui e é essencial na gestão de resultados da Taça do Mundo do Esqui Alpino e nos Campeonatos do Mundo.


Temporizador profissional de esqui de alta frequência com ponteiro de fração de segundo
(cal. 24 linhas) medindo 1/10 de segundo (1938).

Esquiar pelas montanhas nevadas está entre os desportos mais populares no país natal da Longines, a Suíça. Em 1924, a marca cronometrou a sua primeira corrida de esqui na Suíça. Alguns anos mais tarde, os cronógrafos de Saint-Imier cronometravam o Campeonato Mundial de Esqui Alpino em Chamonix (França). Em 1939, a Longines apresentou um temporizador de esqui com um movimento de alta frequência e um ponteiro de fração de segundo, medindo 1/10 de um segundo.

Para os campeonatos de esqui em Crans-Montana (Suíça) de 1945, a Longines introduziu a barreira de luz fotoelétrica na meta. Um avanço técnico que pressiona os botões do cronógrafo quando o esquiador passa a meta. Cinco anos mais tarde, outro dispositivo inovador foi criado pela Longines para cronometrar as competições de esqui alpinas: os portões eletromecânicos. Usados pela primeira vez no Campeonato Mundial de Esqui Alpino em Aspen, gravam tanto os tempos de começo e de fim e são ativados pela ação única do atleta.

Rallies

Em janeiro de 1949, carros de toda a Europa participaram na primeira edição do Rali de Monte Carlo depois da Segunda Guerra Mundial. A cronometragem foi confiada à Longines, um estatuto que manteve por mais de 30 anos. Em 1955, a marca de Saint-Imier lançou um dispositivo de impressão de picagens especial, denominado Printogines. Equipado com um relógio com reserva de marcha de 8 dias, permitia aos atletas picar o seu cartão de controlo em cada posto de controlo ao longo de mais de 5 000 km.

O dispositivo fiável e robusto determinava os tempos vencedores oficiais com base nas passagens gravadas em todos os postos de controlo por cada piloto. Foi tão útil que foi usado para cronometrar todos os ralis famosos dessa altura - incluindo o Coupe des Alpes, o rali RAC da Grã-Bretanha, o rali TAP em Portugal e o rali dos Mil Lagos na Finlândia, assim como o rali da Acrópole na Grécia e o rali da Costa do Marfim em África.

Corridas de ciclismo

O ex-presidente da Federação Francesa de Ciclismo, Jean Pitallier, cronometrou pessoalmente todas as edições do Tour de France entre 1973 e 1980 com um par de cronógrafos de alta frequência com indicação de fração de segundos Longines (ref. 7411).

Em 1951, pediram à Longines para cronometrar o principal evento de ciclismo em todo o mundo: o Tour de France. A corrida por França foi uma excelente oportunidade para testar um novo sistema que combinava uma câmara na meta com um dispositivo a gravar o tempo de cada atleta. Este sistema de cronometragem resolveu o problema dos últimos segundos, ao seguir de muito perto os atletas que chegavam à meta quase ao mesmo tempo.

Fórmula 1


Grande Prêmio F1 Bélgica 1967: Graham Hill (Reino Unido) em um Lotus 49.

Em 1949, a Longines introduzia a sua Chronocaméra – um instrumento completamente automático que dava tempos fotografados e era capaz de medir até 1/100 de um segundo. Foi tão convincente que a Federação Internacional do Automóvel o certificou em 1950.
Nesse mesmo ano, a temporada inaugural da Fórmula 1, a Longines cronometrou o famoso Grand Prix do Mónaco e o Indianapolis 500 nos Estados Unidos da América, assim como as corridas de Fórmula 1 em Barcelona (Espanha), Buenos Aires (Argentina), Spa (Bélgica) e Zandvoort nos anos seguintes.

Em 1956, a Longines criou o seu Chronotypogines, que usava um sensor para começar e parar o tempo automaticamente. O sistema foi rapidamente adotado pela Federação Internacional do Automóvel. Em 1980, a Longines lançou (com a Olivetti) um novo método de cronometrar cada carro de forma independente ao usar ondas de rádio. Isto levou a Longines a ser o Cronometrista Oficial de todas as corridas de Fórmula 1 entre 1982 e 1992.

Jogos da Commonwealth

Esta parceria destaca a ingenuidade e a precisão dos instrumentos de cronometragem da Longines.

Desde 1962 que a Longines é o Parceiro Oficial e o Cronometrista dos Jogos da Commonwealth. Em cada edição, os cronometristas, pontuadores, especialistas de desportos e gestores de dados da Longines disponibilizam a sua perícia e dispositivos às federações desportivas e aos seus talentosos atletas por toda a Commonwealth.

OS PIONEIROS QUE
CONFIARAM NA LONGINES